quinta-feira, agosto 06, 2009

Tu deves ser o que mitiga a sede e mata a fome.


Irmão, olha para dentro de teu coração.
Nele há toda a abundância
E toda a riqueza do mundo.
Que outra coisa procuras?
Que outra dádiva buscas,
Senão o Amor que há em ti mesmo?

Por que dizes ser triste e miserável,
Se em ti está toda a plenitude
Outorgada pelo Ente Supremo?
Tu és Luz, pura Luz e Amor.
Vê! Tu és Luz e Amor.
Abre o teu coração
Deixa de ser negligente.

Não és pobre; és rico.
Trata de oferecer e pedir menos.
Ao invés de ser sedento
Trata de ser aguadeiro
E verter sobre os demais
As águas puras da afeição.

Mitiga a sede; mata a fome
De espírito daquele que não sabe
Ter em si mesmo.
Torna-o consciente
De que este irmão inconsciente
Também é uma fonte abundante.

Mata a fome e mitiga a sede
De seus corpos.
Contudo, mata a fome de Amor
E mitiga a sede de Espírito
Se tu mesmo tiveres te tornado
A Fonte abundante.

Abre o teu coração.
Ele é a ânfora para as
Águas puras do Amor
E é o vasilhame
Onde servirás o prato
Principal do Espírito.

Awmergin .°.

4 comentários:

beltsalviano disse...

Perfeito... incrivilmente perfeito e aceito.. o ensinamento do Bardo no canto da águia.

Ricardo disse...

Nossa! Você acabou de entrar na minha lista de favoritos. Parabéns, poucos têm essa sorte.

ademar disse...

Maravilhoso texto mostra que a felicidade esta dentro de nós e é muito mais importante o verbo 'Ser' do que o verbo 'Ter' hoje em dia as pessoas buscam a felicidade em ter coisas materias e quando e se não conseguem passam a vida amargurados. Hoje em dia nesses dias de capitalismo tem bastante amargurado por ai... Mas o 'Ser' nossa beleza interior e que nós traz nossa verdadeira felicidade.

Andréa disse...

Adorei!