terça-feira, setembro 01, 2009

O Renascido.


Antes de viver, eu morri.
Morrendo, tornei-me vivo.
Não sem dor e sofrimento.
Desprender-me daquilo ao
Qual durante muito tempo
Julguei real fez meu coração
Sangrar. Caminhei sobre meu
Próprio sangue e lavei meus pés
De todo o pó e barro.
Abandonei minha casa
Para poder ser livre e deixei minhas
Roupas de lado.
Pai e mãe, irmãos e amigos
Também os deixei
E tornei-me parente
De toda a Humanidade.
Sou irmão do Mundo agora
E amo a todos indistintamente.
Tive de perder para ganhar;
Morrer, para viver.
Sou filho de todos os pais
E de todas as mães.
Sou pai e mãe de todos os órfãos
E sou irmão de todos os homens e mulheres.
Tenho um palácio erigido por minhas
Próprias mãos, mas ele não pode ser visto.
Guardo um tesouro oculto
Ele não pode ser roubado, pois ninguém o vê.
Minhas vestes são sutis,
Por isso pensam que estou despido.
Caminho por todo o mundo
E minha casa é em todo lugar.
Quando desejo estar só,
Retiro-me ao meu palácio invisível
E quando necessito de ouro,
Vou à sala de tesouros oculta.
Encontro-me com Deus em um santuário
Localizado em paragem desconhecida.
Ali, em silêncio total, reencontro-me
Com o Absoluto.
Meus irmãos, que também morreram
Para renascer, estão espalhados
Pelos quatro cantos da Terra,
Servindo, trabalhando, amando
E distribuindo luz aos que necessitam.
Morremos e renascemos
Para viver pelos outros.
Nada temos, para tudo ofertar.
Nossas dádivas são a Luz, a Paz e o Amor.

Awmergin, o renascido

Fotografia: "Awmergin renasce na Luz"



Os direitos autorais são protegidos
pela lei nº 9610/98,
violá-los é crime estabelecido pelo
artigo 184 do Código Penal Brasileiro.

5 comentários:

CassYes disse...

Nos fizeste recordar dos ciclos da vida: nascer, viver, morrer e renascer...lindo texto, linda foto..parabéns por mais um belo trabalho e inspiração gde bardo.
Abçs Cássia

cr.vanni@hotmail.com disse...

"Desprender-me daquilo ao
qual durante muito tempo
julguei real fez meu coração
sangrar."
É muito difícil o desprendimento. Não é fácil o domínio sobre o ego.

Giordana Elida disse...

Desprender-me daquilo ao
qual durante muito tempo
julguei real fez meu coração
sangrar.

Lindo! É difíl o desapego. Deve ser um exercício constante até se tornar um hábito em nossas vidas egocêntricas.

Giordana Elida disse...

Desprender-me daquilo ao
qual durante muito tempo
julguei real fez meu coração
sangrar.

O DESAPEGO É UM EXERCÍCIO DIFÍCIL. Sim, exercício, que devemos incorporar em nossas vidas.

ademar disse...

Amei este texto!! É maravilhoso me lembra os yogues na India que fazem o voto de Sannyasi aonde eles passam a viver uma vida renunciada. Assim os yogues passam a viver pelo mundo só para ajudar os outros com sua Sabedoria sem nenhum bens materiais para mostrar desapego as coisas da materia e apego Deus(Vishnu) e aos valores espirituais.