terça-feira, julho 10, 2007

"Epístolas sobre o Amor" - Carta Introdutória.


Caro amigo,
Tu me pedes algo e nestas breves correspondências que iremos trocar a partir de hoje tentarei dizer-te tudo o que aprendi em meu serviço no divino templo de Eros, o deus do Amor.
Falar de Amor, de Eros.... Tarefa assaz árdua!
Que é o Amor senão uma Força? Como compreendê-lo de outra forma a não ser fazendo-se Um com Ele?
Todas as vezes em que tentei compreender Amor, minha mente limitou-se. Todas as vezes em que quis descrevê-lo em tratados, e escrever sobre ele no pergaminho com tinta e pena, minha pena se partiu e os pergaminhos foram gastos inutilmente.
Eu tentei fugir dele, como uma lebre foge do caçador. Mas, não o logrei. Acabei sendo apanhado, pois Amor é mais astuto que o mais astuto dos homens.
Tudo o que diga sobre Amor será insuficiente. Assim, decidi calar-me e não muito discorrer sobre ele, mas sim deixá-lo habitar dentro de mim. E mesmo que não o permitisse, ele arrebentaria os portões de meu coração, como o faz um possante aríete. Amor me move; Amor é a fonte de meus pensamentos.
Já tentei desvendar seus mistérios, mas foi ele, em verdade, quem me desvendou.
Platão? Ah, Platão, o divino heleno! O que o divo filósofo da Academia nos ensinou há milênios atrás não era uma criação, mas uma constatação e uma vivência. Mas, basta! Falar sobre Amor é como encerrar um pássaro em uma gaiola. Prefiro deixar que a Ave voe livre".

Awmergin, o Bardo - in: "Epístolas sobre o Amor", pág. 05

Pintura: "Psyche in the Temple of Love", 1882 -
Edward John Poynter (1836-1919)
Oil on canvas, 66.3 x 50.7cm

2 comentários:

Awmergin, o Bardo disse...

E assim, há quase dois anos atrás, iniciou-se o "Epístoas sobre o Amor".
Um livro que começou a ser escrito despretenciosamente... como o Vento que sopra e não pergunta a quem ventila.
Um amigo, rogou-me por explanações sobre Amor. Assim, iniciei a trocar correspondências com ele. Tendo o mesmo ficado satisfeito com minhas cartas e respostas, comunicava-as à outras pessoas que também se interessaram em corresponderem-se comigo.
Desta feita, iniciei correspondência com pessoas de todos os cantos do Brasil, falando-lhes sobre Amor e sobre o que é servir como discípulo no templo de Eros.
Tudo o que falo é não apenas teoria, mas vivência, experiência.
As letras deste livro estão gravadas com mente, coração e ação.

Awmergin, o Bardo

Lady Vania de Tróia disse...

Que é amor senão troca,partilha,doação e fé?Amor nos abate,nos eleva!Amor é o que te move a seguir em frente e escrever Epístolas sobre o Amor.
Parabenizo-te!