segunda-feira, fevereiro 05, 2007

QUANDO EU ERA MENINO

Quando eu era menino,

Um deus freqüente me salvava

Da gritaria e do látego dos homens,

Em segurança eu brincava

Com as flores do bosque;

As brisas do céu

Vinham brincar comigo.

E assim como alegras

O coração das plantas,

Quando estendem os braços

Meigos para ti,

Meu coração alegraste

Também, Pai Hélio! e como Endimião

Eu era o favorito Teu, sagrada Lua!

Oh vós todos, fiéis

Deuses amistosos,

Se soubésseis o quanto

Minha alma vos amou!

Não vos chamava eu então

Pelo nome, nem vós a mim

Pelo meu, como os homens

Quando se conhecem.

Mas eu vos conhecia

Como jamais aos homens conheci.

Eu compreendia o silêncio do Éter;

As palavras dos homens, não.

Educou-me a harmonia

Do bosque murmurante

E aprendi a amar

Debaixo das flores.

Foi nos braços dos deuses que eu cresci.


Johann F. Hölderling (1770-1843), Poeta alemão

2 comentários:

Awmergin, o Bardo disse...

Eu e Hölderlin temos algo em comum: ambos visitados por um deus.

Valéria disse...

...caminhei contigo esses momentos!
iluminando-te de noite, e no dia no éter me formei!
sentiste minha presença e regojizo-me da lembrança em alegrar-te!
...porém, hoje a ti venho, pedir-te um grande favor:
- ensina-me como a harmonia o fez!
ensina-me a amar!