sábado, janeiro 13, 2007

O Lírio da Despedida

Quando pela primeira vez eu te vi
Meus escuros olhos viram
Os teus olhos de esmeralda
Eles comungaram entre si
Segredos de amantes há muito esquecidos
Em nossas almas imortais,
Eu te amei, Vestal. Desde aquele
Primeiro dia em que vieste
A meu sagrado jardim, onde cultivo
As perfumadas flores e rosas do sentimento.
Tu vieste, atraída pela beleza
De meu trabalho de mestre
Com as raras e coloridas flores
Que amorosamente cultivo.
Em meu jardim os pássaros
Vêm ter momentos de descanço e delite
E trazer-me notícias de terras longínqüas.
Tu vieste, Vestal, atraída por cores,
Perfumes e cânticos.
Eu abri as portas e te acolhi dentro de meu amado jardim.
Ao chegares, eu te presenteei
Com o alvo e puro lírio.
Ele foi o símbolo de meu amor por ti.
Mas tua estadia em meu florido recinto foi breve,
Pois a casta Deusa a quem serves
Requer toda tua devoção.
De volta a seu divo templo Ela te chamou.
Eu te deixei partir, levando contigo
O lírio que te ofereci ao chegares.
Leva-o contigo, filha de Vesta,
E mesmo que ele seque, guarda-o
Pois é a única representação
De que, puro, um dia eu te amei.

Awmergin, o Bardo

3 comentários:

Anônimo disse...

Bardo,
É a primeira vez que venho acesso seu blog. Passei quase uma hora lendo-o e meditando acerca de suas lindas e profundas palavras. Você é um homem espetacular! Nunca conheci um poeta como você e nem um Homem tão completo.
Resolvi comentar neste poema porque sei quem e o que te levou a escrevê-lo...
Quero que saibas, Bardo, que um dia a Vida te dará uma Dama que aceite estar contigo em teu Jardim Sagrado e que não te decepcione, pois tu mereces, pelo grande ser humano e artista que você é.
Que as Musas continuem a lhe inspirar sempre e sempre.
Com carinho,
Laura

Castelo da Vampira Olímpia disse...

Amado Bardo,
amanhã meu afilhado vai embora para os EUA, estou numa fase de despedidas e de saudades...
Lindo o texto.
beijos.

Milena disse...

Querido amigo!
Tudo que vc escreve é lindo demais...Completo demais!
Te adoro.
bjs