segunda-feira, março 20, 2006

O Peregrino

Há tempos, distante no passado,
Vivia em beatitude e pureza
Mas a curiosidade foi a fraqueza
Que me fez ser exilado.

Agora cá estou eu caminhando
Por caminhos duros e penosos,
Sofrendo de saudades dos deleites frondosos
De meu lar que ando buscando.

Ah, terra de luz,
Como é triste o meu estar
Neste mundo ilusório!

Sou peregrino que se conduz
À sua origem estelar
Longe do que é transitório.

Awmergin, o Bardo

2 comentários:

Maria Rita disse...

Sinto-me assim, estrangeira neste mundo!

Awmergin, o Bardo disse...

Todos somos peregrinos neste mundo, Maria Rita...