domingo, fevereiro 11, 2007

Vento


Eu passo como um vento
Que não deixa rastos;
Passo como o vento,
Deixo um sopro suave.
Olho adiante, vejo o horizonte
Ígneo, onde o Sol se põe.
Para lá voarei com o Rei.
Passo alado com o vento
E em seus braços deixo-o
Levar-me pelos espaços
De etéreas paragens.
Eu passo alado pelos ares,
Mas deixo-te meu amor.
Awmergin, o Bardo

3 comentários:

***Kel*** disse...

Lindo, deixando meu beijo e meu desejo que tenhas uma belíssima semana.
Luz
*********************************

Valéria disse...

...impossível Passaro Alado,
deixar-me,
já que do etéreo faço parte e
acompanho-te onde for!!
...ainda que não me enxergues
a vista, a olho nú!
povoarei tua memória por todo
voo onde for!

Valéria disse...

refazendo....rsrs

impossível Pássaro Alado, deixar-me!
...do etéreo faço parte, ainda que não me enxergues...
Povoarei tua memória... tuas lembranças mais belas!
...ajudando-te a traçar as mais lindas imagens no céu!
que inspirarão com harmonia, os poetas e os amantes!