domingo, fevereiro 11, 2007

Minha Eva (para Laura)


Minha deusa, minha Afrodite,

Tu me fizeste entrar novamente

Em um templo que eu jurei

Não mais freqüentar.

Mas, tu me seduziste

E me fizeste gozar deleites.

Ah, mulher! Eu mergulhei

Em teu corpo, como um sedento

Mergulha em um mar, doce e profundo.

Eu provei tua pele,

Como o esfomiado prova um fruto

De pecado. Agora eu sou um Adão Expulso

Do Paraíso, por tua causa.

Mas não me arrependo, minha Eva...

Eu não me arrependo, pois nos amamos.


Awmergin, o Bardo

Um comentário:

Valéria disse...

Felizarda Laura! mulher amada por Bardo!!
que Deus te ilumine e te preserve para que continues inspirando o grande...o mestre...o mago...Bardo!