segunda-feira, julho 31, 2006

O Canto dos Cisnes




Sim, os Cisnes cantam quando Ela, a Dama de Prata, surge d'entre as árvores seculares daquela floresta que é meu refúgio em horas de solidão. Os Cisnes cantam e bailam sobre a lâmina cristalina do lago.E sentado n'uma pedra, tanjo as cordas de minha harpa dourada em uníssono com o cântico das brancas aves. Surge Awen, mi'amada e origem de minha Poesia.Já amei muitas mulheres. Mas, nenhuma me foi tão fiel e amorosa quanto Awen dos olhos de safira. Sempre que Dela necessito, lá está Ela, aguardando por mim entre os Carvalhos seculares a me esperar com sua candura e calidez. Sempre que minha dor é insuportável, procuro-A e Ela me ama sem toques. Eu me delicio em seu Amor.Sou seu porta-voz entre os Homens. Entrego-lhes o que Ela canta para mim, pois são poucos os que ouvem sem os ouvidos Sua música inaudível e poucos são os que A vêem sem os olhos.

Awmergin, o Bardo
Em: 27/07/2006, às 13:30h

3 comentários:

Patrícia disse...

Tudo o que vc escreve é de uma doçura e delicadeza imensa. E escreve mutíssimo bem! Está de parabéns. Li seu blog com mais calma e adorei;).

Grande beijo de sua amiga,

Arwel***

Fabio Rocha disse...

Belo e pacífico e sereno... Parabéns! Abraços

Verbena disse...

obrigada pela visita, talentoso bardo...